apaixonados-por-acordeon-rafael-vanazzi

 

Conheça os registros do acordeon: segunda voz, terça voz, quarta de voz e quinta de voz

Se você já teve a oportunidade de tocar um acordeon, provavelmente já ouviu falar dos registros, que permitem ao instrumentista modificar o timbre e a sonoridade do acordeon. Dentre eles, existem os registros de segunda voz, terça voz e quarta de voz, que podem ser usados em diferentes estilos musicais. Neste artigo, vamos explorar esses registros e como eles afetam a sonoridade do acordeon.

O que são os registros do acordeon?

Os registros são botões localizados acima do teclado, e dos baixos, do acordeon que permitem que o instrumentista modifique o som do instrumento. Cada registro ativa diferentes combinações de vozes ou palhetas dentro do acordeon, alterando o timbre e a sonoridade. Dependendo do modelo do acordeon, pode haver diferentes registros disponíveis.

Cada registro possui um nome, que podendo ainda variar o seu nome de acordo com o país, marca e etc, no entanto, a resultado do registrado permanece o mesmo. Vamos ver cada uma das vozes, para facilitar o entendimento dos registros.

Os registros de acordeon segunda voz

Um acordeon segunda de voz possui duas palhetas disponíveis para se tocar uma única tecla, podendo usar apenas uma das duas palhetas ou usar as duas palhetas em conjunto. Com isso, um acordeon segunda de voz pode ter até 3 registros, ou 3 timbres diferentes. No entanto, alguns acordeons segunda voz podem possuir apenas 2 registros, omitindo um desses 3 registros possíveis.

Veja o desenho dos registros abaixo:

Nos desenhos do próprio registro é possível compreender se a voz é grave, média, ou aguda, conforme as “bolinhas” desenhadas nos espaços. Esse desenho é comum somente em alguns modelos de acordeon, a maioria apenas consta o nome do registro.

Observe que na segunda de voz temos um registro para cada uma das duas vozes, sendo o Clarinet (clarinete em português) e o Basson (fagote em português). Como são apenas duas vozes, só há uma combinação de vozes possível, que é usar as duas ao mesmo tempo.

O registro que usa todas as vozes disponíveis no acordeon, são normalmente chamados de registro Master. Por isso, o registro Master varia de acordo com as vozes disponíveis no acordeon, e esse mesmo registro Master do acordeon de segunda de voz (Clarinet+Basson), em acordeon com mais vozes, possui outro nome, se chamando de Bandoneon.

Podemos resumir o desenho acima com a seguinte tabela:

  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro de Clarinet acionado, soará a nota dó da oitava 3.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Basson acionado, soará a nota dó da oitava 2 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro de Master (Bandoneon) acionado, soarão as notas dó da oitava 2 e da oitava 3 ao mesmo tempo.

Nota: considere que a oitava 3 é a oitava central do piano, na partitura é o dó suplementar inferior da pauta com clave de sol. Quanto menor o número da oitava, mais grave é a nota, quanto maior o numero da oitava, mais agudo é a nota.

Os registros de acordeon terça de voz

Os acordeons com terça de voz possuem uma segunda palheta na altura média (Clarinet), repetindo a nota na mesma altura, oitava 3. Há outros modelos de aocrdeon com terça de voz chamados de “oitavado”, significando que, ao invés de ter um segundo Clarinet, a voz de acréscimo é o Picollo.

Vamos ver o desenho dos registros, que por ser bem intuitivo, facilita o entendimento:

terça de voz

  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro de Clarinet acionado, soará a nota dó da oitava 3.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Basson acionado, soará a nota dó da oitava 2 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro Bandoneon acionado, soarão as notas dó da oitava 2 e da oitava 3 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Violin acionado, soarão duas notas dó da oitava 3 juntas (com leve diferença de afinação).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Master (Accordeon) acionado, soarão duas notas dó da oitava 3, mais um dó da oitava 2.

Note que a combinação de um acordeon segunda de voz continua presente no acordeon com terça de voz, havendo um acréscimo do registro do Violin (violino em português) e do Master, possuindo todas 3 vozes ao mesmo tempo.

O timbre do Violin são duas notas da mesma oitava, no entanto, essa voz extra é “desafinada” com relação ao primeiro Clarinet, de forma a deixar o som com um efeito muito característico do acordeon que conhecemos, ganhando um efeito de vibração, trêmolo, vibrato, que não existiria se as duas vozes fossem afinadas de forma exatamente igual. Há afinações que essa desafinação é mais pronunciada, o que caracteriza o timbre do acordeon francês, ganhando forte efeito de vibrato.

Curiosamente, há também acordeon com 3 vozes médias, todas “desafinadas” entre si, criando uma forte sensação de vibrato, tornando um timbre bem particular e que foi muito usado em música do sul do Brasil, como pelo “Porca Véia”.

Por sua vez, o master do acordeon com terça de voz ganha um corpo sonoro mais presente do que o acordeon com segunda de voz.

Os registros de acordeon terça de voz oitavado

Já acordeon com terça de voz oitavada perde a voz do Violin e essse vibrato característico, que remete a um timbre de acordeon mais popular, mas ganha outros registros. Veja:

terça de voz oitavada

Note que, enquanto o acordeon terça de voz possui 5 registros, o terça de voz oitavada possui 7 registros.

O terça de voz oitavado perde o timbre clássico do Violin, mas ganha outros mais requintados, que tornam a sonoridade mais “erudita”, mais próxima do som de órgão.

Temos:

  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro de Clarinet acionado, soará a nota dó da oitava 3.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Basson acionado, soará a nota dó da oitava 2 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Piccolo acionado, soará a nota dó da oitava 4 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro Bandoneon acionado, soarão as notas dó da oitava 2 e da oitava 3 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Oboe acionado, soarão um dó da oitava 3 e outro da oitava 4 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Organ acionado, soarão um dó da oitava 2 e outro da oitava 4 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Master (Armonium) acionado, soarão três notas dó da oitava 2, 3 e 4 ao mesmo tempo.

Aqui se ganha o registro de Organ (órgão em português), que traz um brilho muito elegante para a sonoridade do instrumento, dando a sensação de que o timbre combina mais com músicas eruditas, ou estilos onde o desenho melódico possui um ênfase dinâmica mais trabalhada.

 

Os registros de acordeon quarta de voz

Podemos considerar que o acordeon com quarta de voz é a junção dos dois tipos terça de voz vistos acima, já que estamos apresentando as vozes a partir do acordeon segunda de voz, com novos timbres.

Vamos separar mais os timbres para ficar ais fácil a visualização.

Vozes solo:

Em alguns acordeon, pode haver dois Clarinet, considerando que um deles estará com a castela das palhetas/vozes posicionadas dentro do fole, o que é chamado de ressonância. Dessa forma, teríamos ainda disponível o Clarinet ressonante e o Clarinet sem ressonância. São raros os acordeons com esses dois registros distintos, não havendo nomes para diferenciá-los.

Vozes duplas:

Aqui vemos o Violin e o Organ presentes, que são dois timbres dos mais preferidos pelos acordeonistas presentes no mesmo instrumento. Esses timbres estão presentes no acordeon com terça de voz, mas em separado nos modelos com ou sem o piccolo (oitavado), como vimos anteriormente.

Vozes triplas:

Aqui temos o timbre Master dos acordeons com terça de voz, com e sem o piccolo (oitavado) e um novo timbre foi possível, o Musette.

Voz quádrupla:

 

O Master do acordeon com quarta de voz é bem completo, possuindo as quatro vozes ao mesmo tempo, trazendo um rico colorido para o acordeon. Com ele, uma única nota tocada nas teclas soam 4 palhetas.

Temos:

  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro de Clarinet acionado, soará a nota dó da oitava 3.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Basson acionado, soará a nota dó da oitava 2 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Piccolo acionado, soará a nota dó da oitava 4 (mais grave que a tocada).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro Bandoneon acionado, soarão as notas dó da oitava 2 e da oitava 3 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Oboe acionado, soarão um dó da oitava 3 e outro da oitava 4 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Organ acionado, soarão um dó da oitava 2 e outro da oitava 4 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Violin acionado, soarão duas notas dó da oitava 3 juntas (com leve diferença de afinação).
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Armonium acionado, soarão três notas dó da oitava 2, 3 e 4 ao mesmo tempo.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Accordeon acionado, soarão três notas dó da oitava 3, mais um dó da oitava 2.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Musette acionado, soarão três notas dó da oitava 3, mais um dó da oitava 4.
  • Quando se toca a nota dó da oitava 3 do teclado (dó mais grave do acordeon) com o registro do Master acionado, soarão quatro notas dó da oitava 2, dois da oitava 3 e mais um dó da oitava 4.

São 11 diferentes registros disponíveis.

Como utilizar os registros de acordeon?

A utilização dos registros de acordeon é uma das principais habilidades que um acordeonista deve desenvolver. A escolha do registro certo é essencial para a execução de uma música de forma adequada, e pode fazer toda a diferença na qualidade do som produzido. Para utilizar os registros de acordeon de forma adequada, é importante conhecer as características sonoras de cada um deles, e praticar muito para desenvolver a habilidade de transição entre eles.

Conclusão

Em conclusão, os registros do acordeon são uma das características mais importantes desse instrumento musical tão presente na cultura brasileira e mundial. Através do uso dos registros de segunda voz, terça de voz e quarta de voz, é possível criar diferentes sonoridades e estilos musicais, enriquecendo ainda mais a versatilidade do acordeon.

É importante destacar que a exploração desses registros exige estudo e prática, para que o músico possa utilizá-los com precisão e harmonia. Além disso, é necessário escolher um acordeon de qualidade, que possua bons registros e permita uma boa sonoridade.

Por fim, os registros do acordeon são um exemplo da riqueza e diversidade da música, possibilitando a criação de diferentes estilos e ritmos musicais. Através deles, o acordeon se torna um instrumento ainda mais fascinante e admirado por músicos e ouvintes em todo o mundo.

apaixonados-por-acordeon-rafael-vanazzi

 

7 thoughts on “Conheça os registros do acordeon: segunda voz, terça voz e quarta de voz

  1. Gilberto Luiz Savoldi says:

    Porque é um instrumento, praticamente completo e complexo, aí requer dedicação, perseverança disciplina, além de tempo e paciência para domina-lo.
    Porém, acima de tudo é fascinante, pois proporciona, uma sensação de bem estar/satisfação com as infinitas sonoridades, quando se ouve um músico de qualidade, criativo, de bom gosto e tino para extrair o máximo que o aparelho disponibiliza.
    Tiro meu chapéu para o, ou os investidores.

  2. Elizamar says:

    Muito boa explicação! Já tinha explorado os registros, observado os diferentes sons e tonalidades nas oitavas. Selecionado o melhor dono, de acordo a preferência, mas não tinha esse conhecimento. Percebo que é bastante complexo e necessita mais estudo para melhor compreender esse instrumento que considero múltiplo e fantástico.

    • Rafael Vanazzi says:

      Binci quer dizer que a qualidade das palhetas de aço das notas do acordeon foram feitas a mão, de alta qualidade, numa época que já não se conseguem mais fazer palhetas com tanta qualidade. Apenas instrumentos de alta qualidade possuem vozes com palheta binci.

  3. Gabriel says:

    Pode me explicar qual a diferença dos acordeons que não possuem Piccolo? Percebi que nos sites da Scandalli é possível encomendar a Super VI com três vozes médias e uma grave. A Paolo Soprani Super Paolo II, inclusive, tem essa config como padrão. Qual é essa terceira voz média que substitui o Piccolo?

    • Rafael Vanazzi says:

      Olá, Gabriel. Nesse post falo de detalhes sobre os registro, e respondendo a sua pergunta:
      A presença ou ausência do piccolo, uma voz aguda, influencia o caráter tonal do acordeão.
      Em modelos sem piccolo, as vozes médias ficam sendo as vozes mais agudas disponíveis no instrumento, enquanto em modelos com piccolo, essa voz específica adiciona brilho e destaque aos tons agudos.

      Alguns acordeões, como a Paolo Soprani Super Paolo II, oferecem a opção de uma terceira voz média em vez do piccolo, proporcionando um equilíbrio tonal diferente com três vozes médias e uma grave.

      A escolha entre acordeões com ou sem piccolo depende das preferências musicais e do estilo do músico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.