Você sabe qual é a forma de transformar você mesmo no seu melhor professor? Se a sua
resposta foi não então tenho uma ótima notícia para você. Nesse artigo vou te contar o que
você precisa fazer para que você mesmo seja o seu melhor mentor.

Então, indo direto ao ponto, para se tornar o seu melhor professor você precisa
simplesmente usar o “Por Quê?”.

Sim, é simplesmente isso. Quando você passa a questionar o por quê das coisas, ou em
outras palavras, qual é a motivação para que essa coisa aconteça você vai se estimular a
procurar a resposta.

Veja um exemplo aplicado ao acordeon: “Por que, eu não consigo tocar no ritmo?”

Quando você se faz essa pergunta e é sincero na resposta, você se torna curioso, começa
a fazer pesquisas e testes, o que vai melhorar exponencialmente o seu processo de
aprendizado.

Podemos dizer que você possui todas as ferramentas para ser o seu melhor professor em
qualquer assunto que se proponha a aprender, bastando apenas a desenvolver esse lado
crítico.

Um outro exemplo que pode ser usado é o seguinte: “Por que eu não consigo tocar os baixos?”

Ao se fazer esse tipo de pergunta você vai ser capaz de identificar diversos motivos que são
possíveis respostas ao seu questionamento. Podem surgir na sua cabeça coisas do tipo: Eu
não consigo tocar os baixos porque eu acabei de estudar” ou “porque eu estou estudando
pelo Youtube” ou até mesmo “porque eu não tenho um professor”.

Dessa maneira, ao fazer o questionamento inicial, você consegue elencar os motivos e
assim agir sobre eles.

Cuidado para não colocar obstáculos em seu próprio caminho.

Muitas pessoas podem acabar fazendo um mau uso dessa estratégia de questionar o
porquê das coisas para melhorar o aprendizado. Isso acontece quando, ao descobrirem os
motivos acabam tornando-os obstáculos no seu processo e não solução.

Pense comigo, se uma pessoa não possui um dedo, ela pode pensar: “Ah, eu não vou ter
aula porque sem um dedo eu não vou conseguir tocar”.

Esse é um dos maiores erros, aumentar o tamanho do problema e tomar isso como
verdade. Em outras palavras, o que eu quero te dizer é que, ao descobrir as possíveis
respostas ao seu questionamento inicial você não os trate como empecilhos.

Nesse exemplo, a pessoa poderia desistir do aprendizado do instrumento antes mesmo de
saber que esse não é realmente um problema que a impediria, bastaria apenas fazer
adaptações.

Por fim, reforço a ideia, busque o porquê das coisas, busque o porquê das coisas, se
questione, investigue os motivos, vá atrás. Ao fazer isso tenho certeza que os seus
resultados serão potencializados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *